Governo garante abastecimento de energia em 2001

O volume de águas dos reservatórios das usinas hidrelétricas do País está maior do que foi verificado nos primeiros dias do ano passado, o que poderá garantir o atendimento ao aumento da demanda de energia elétrica ao longo deste ano.

De acordo com o ministro de Minas e Energia, Rodolpho Tourinho, os lagos das usinas hidrelétricas da Região Sudeste apresentavam um total de 28,5% de água, enquanto no último dia de 1999 o volume era de 18,1%. Nas usinas do Nordeste, o volume estava em 36,8% contra os 21,8% de 1999.

“Isso nos dá uma poupança de água capaz de gerar 2.500 megawatts médios por mês em 2001, o equivalente ao acréscimo médio mensal de carga que esperamos para este ano”, explicou Tourinho.

Segundo ele, a quantidade de água nas usinas em 31 de dezembro está equivalente ao volume de 31 de janeiro passado. “Estamos com um mês na frente”, disse o ministro. Ele admite que os resultados ficaram acima das expectativas.

Nos dois primeiros dias de 2001, o volume de água cresceu 1%. Nas regiões Norte e Sul também houve aumento do volume dos lagos.

O presidente do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Mário Santos, explicou que, considerando um cenário conservador do regime de chuvas até 30 de abril, é possível chegar a pelo menos 55% da capacidade dos reservatórios.

“Se chover 85% da média histórica neste período podemos atingir esta meta, o que nos dará tranquilidade para fornecimento de energia este ano”, disse Santos. No final de abril do ano passado, os reservatórios fecharam com 59,4% da capacidade.

“Se repetirmos o que aconteceu em 2000, tudo estará bem”, disse o ministro. O governo conta com a estabilidade do clima nos primeiros quatro meses do ano para ter um resultado ainda melhor.

“A expectativa é de absoluta normalidade, pois não temos fenômenos climáticos como o El Niño e La Niña”, afirmou Tourinho, referindo-se às alterações no clima ocorridas nos dois últimos anos.

Mesmo se atingir a meta, o volume de água do Sudeste ainda estará muito distante dos 88% de abril de 1997. “Gastamos muita água dos lagos nos últimos anos”, disse o ministro.

O aumento do volume dos reservatórios também foi motivado, segundo Mário Santos, pela economia de água causada pela entrada em operação de Angra 2 e a compra de energia da Argentina. “Estamos preservando os lagos”, afirmou.

Enquanto em novembro e dezembro de 1999 o volume de água dos reservatórios diminuía, nos dois últimos meses do ano passado ele aumentou.

Além de ter água suficiente, o governo também conta com a entrada de mais 3.000 megawatts de energia nova no País este ano, o que ajudará a suprir o crescimento da demanda. Deste total, conta-se apenas com 344 megawatts/médios de energia gerados pelo programa de usinas térmicas a gás, anunciado no ano passado.(AE)