Lixo causa desenvolvimento populacional de jacarés

O lixo do litoral do Paraná é a principal causa de desenvolvimento da população de jacarés que aparece nas baías de Paranaguá e Guaratuba. Também é o lixo a principal causa de atração dos tubarões que atacam banhistas e surfistas no litoral pernambucano.

Esta é uma das conclusões dos estudos feitos pelo Instituto Ecoplan na baía de Guaratuba, local onde foi localizado um jacaré neste final de semana. Os pesquisadores, numa avaliação prévia, dizem que a população de jacarés assumirá números preocupantes nos próximos cinco anos e sugerem política para o correto controle de eventuais espécies que entram em conflito com o homem que habita e freqüenta o litoral paranaense.

O objetivo desta ação é preservar o jacaré, que está na relação de animais em extinção e que pode ser eliminado por pescadores, e também criar sistemas de proteção para o homem. O monitoramento iniciado pelo Instituto Ecoplan indica que o jacaré já tem área definida para habitar o litoral paranaense, na baía de Guaratuba e Ilha do Mel.

O Instituto Ecoplan faz observações há três anos e atualmente aguarda licenciamento do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente para intensificar pesquisas sobre o jacaré. A preocupação maior está relacionada com o censo e o monitoramento da alimentação. A alimentação inadequada poderá provocar ataques a pessoas e outros animais. Outro objetivo é a definição de um recinto para animais machucados ou doentes, na região de Tabaracoara, que fica adiante do Iate Clube de Caiobá. A aparição de jacarés do papo amarelo, segundo pesquisadores do Instituto Ecoplan, tem um aspecto positivo: a conscientização ecológica que eliminou a caça predatória e leva os moradores a avisar autoridades para o recolhimento dos animais ao invés de matá-los.

Outro fator é a criação de parques ambientais no litoral do Estado. No momento, há preocupação com a eventual aparição de exemplar problemático,com fome ou doente,que possa atacar pessoas e provocar reação para matança indiscriminada. 

O Instituto Ecoplan, com bases científicas, deseja opinar para o desenvolvimento de política de manejo do jacaré do papo amarelo no litoral do Paraná. 
(ambientebrasil)