Empresas recebem recursos para proteger camada de ozônio

O Fundo Multilateral para Implementação do Protocolo de Montreal (FMPM) distribuiu recursos de cerca de US$ 8 milhões entre 38 empresas brasileiras que apresentaram projetos de conversão industrial, visando à proteção da camada de ozônio que envolve a Terra.

O anúncio foi feito, nesta terça-feira, pelo ministro do Meio Ambiente do Brasil, José Sarney Filho, que destacou que os empreendimentos proporcionarão a eliminação de 1,3 mil tonelada de substâncias prejudiciais.

“Esse patamar será mantido nos próximos anos”, frisou o ministro. Sarney Filho ressaltou que o seu ministério também pretende avançar na divulgação do Programa Brasileiro de Eliminação da Produção e do Consumo das Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio.

“Como coordenador do comitê interministerial (Prozon) para a adoção de medidas de proteção à camada de ozônio, que reúne outros seis ministérios, o ministério do Meio Ambiente está direcionando esforços para aumentar o comprometimento dos parceiros e dos próprios integrantes do Prozon em uma ação decidida que colabore para o fim do ciclo de destruição da Camada de Ozônio”, acentuou Sarney Filho.

Atualmente, 148 empresas brasileiras contam com aprovação de seus projetos pelo comitê executivo do FMPM, totalizando US$ 50,4 milhões.

Já estão implantados 45 projetos de conversão industrial, iniciativa que livrou o meio ambiente de receber uma emissão de duas mil toneladas de substâncias destrutivas ao ano.

O setor automobilístico é um exemplo de conversão completa para tecnologias que não destroem a camada de ozônio e, em breve, a indústria de eletrodomésticos deverá completar a conversão de todos os seus novos produtos. (CNN com Agência Brasil)