Cientistas descobrem indícios do risco de pesticidas para fertilidade masculina

Equipe composta por cientistas argentinos e franceses, publicou, na edição de agosto da revista européia Human Reproduction, novas provas da ação de agentes tóxicos do meio ambiente, como pesticidas e dissolventes, na fertilidade masculina.

Segundo o estudo, a exposição aos pesticidas e aos dissolventes está “significativamente” associada a uma alteração da qualidade do esperma (volume, mobilidade e número de espermatozóides), cuja análise mostra “valores muito abaixo do patamar de fertilidade masculina”.”Os testículos são os órgãos mais vulneráveis à exposição de agentes químicos ou físicos do meio ambiente”, adianta um especialista da reprodução masculina.

“A Argentina se tornou um dos maiores usuários de pesticidas”, assinalou o dr. Alejandro Oliva, do hospital italiano Garibaldi, de Rosario-Argentina.

O estudo foi realizado na Argentina, entre 225 homens, que consultaram por problemas de infertilidade entre 1995 e 1998, das províncias agrícolas de Santa Fe e Entre Ríos, duas das mais produtivas do mundo.
(ambientebrasil)