Bactéria de planta pode infectar célula humana

Desde 1982, Clóvis vem participando de inúmeros projetos e iniciativas ligados à conservação e preservação da flora e fauna no Brasil. Sua luta pela conservação ambiental confunde-se com a própria história da SPVS, entidade que ajudou a fundar ao lado de outros 15 estudantes ligados ao Museu de História Natural de Curitiba.

Dispostos a assumir, de forma profissional, a causa da conservação da natureza Clóvis e os demais amigos plantaram a primeira semente do que viria ser uma das principais Ongs ambientais do Sul do Brasil. Os primeiros projetos contaram com o esforço voluntário desse pequeno grupo de acadêmicos, já que naquela época Ongs ambientalistas ainda eram novidade no Brasil e captar recursos para investir em conservação era tarefa quase impossível. Hoje, a SPVS é representante das Ongs do Sul no CONAMA-Conselho Nacional do Meio Ambiente e é membro do Conselho Estadual do Meio Ambiente do Paraná (CEMA) e desenvolve uma série de projetos – muitos deles premiados – de pesquisa, de educação ambiental, recuperação de áreas degradadas, proteção de espécies em extinção, participação comunitária e intercâmbio de informação.

Em 1998, Clóvis Borges recebeu o Prêmio John and Harriet Dunning – concedido pela organização norte-americana The Nature Conservancy para conservacionistas na América Latina e Caribe.

Neste ano, Clóvis Borges recebeu o prêmio World Climate Technology and Leadership Awards 2001. Desde 1999, a Agência Internacional de Energia entrega anualmente este prêmio através do programa Iniciativa pela Tecnologia Climática (ITC) para indivíduos e organizações que alcançaram avanços no uso de tecnologias que não sejam nocivas ao clima. Clóvis Borges foi selecionado num universo de 40 concorrentes e irá representar o Brasil no evento. De acordo com a AIE, “ele foi escolhido por liderar a sua organização, na proteção das florestas no Brasil”.

A SPVS é uma organização não-governamental brasileira sediada em Curitiba (PR), sem fins lucrativos e de interesse público. Fundada em 1984, tem como missão trabalhar pela conservação da natureza, através da proteção de áreas nativas, de ações de educação ambiental e do desenvolvimento de modelos para o uso racional dos recursos naturais. Desenvolvido especialmente no litoral do Paraná, o trabalho da SPVS concentra-se na Floresta Atlântica. E para seu desenvolvimento conta com um corpo técnico multidisciplinar e com o apoio de parceiros nacionais e internacionais (organizações governamentais, não-governamentais, centros de ensino e empresas privadas). Mais informações no site www.spvs.org.br