Vazamento na Serra do Mar é 40 vezes maior que o anunciado

A Petrobrás reconheceu no domingo que o vazamento de óleo diesel que atingiu a Serra do Mar, no Paraná, é pelo menos 40 vezes maior do que havia sido divulgado pela própria empresa na sexta-feira, dia do acidente.

Segundo o diretor da Transpetro, Wong Loon, até domingo foram recolhidos 48,5 mil litros de óleo. A estimativa inicial da Petrobrás era de que haviam vazado apenas 1,2 mil litros.

A Transpetro é a subsidiária da Petrobrás responsável pela operação do poliduto que liga a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, ao terminal portuário de Paranaguá.

Loon disse que o óleo recolhido já seria a maior parte do que vazou e prometeu o término da limpeza para esta terça-feira – inclusive da fina camada de óleo que está passando pelas barreiras instaladas nos rios (a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, porém, acredita que o trabalho de remoção dessa película será muito difícil). Loon reconheceu que a avaliação inicial, feita visualmente, foi muito imprecisa, mas disse que não houve má fé.

O diretor da Transpetro ainda informou que que a causa do vazamento foi um rompimento do duto, provocado possivelmente por uma acomodação de terra que forçou a estrutura, que fica a uma profundidade de quatro metros. O vão aberto no duto teria cerca de 30 centímetros.

Loon ainda afirmou que o rompimento teria ocorrido por volta das 10h30, logo depois o vazamento teria sido constatado. O diretor de controle de recursos hídricos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Mário Sérgio Rasera, diz acreditar, porém, que o vazamento teria começado por volta das 7h.
(Gazeta do Povo com ambientebrasil)