Portaria do IAP proíbe pesca nos rios atingidos pelo óleo no Paraná

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) baixou nesta terça-feira uma portaria que proíbe, por tempo indeterminado, qualquer modalidade de pesca nos rios do Meio, Sagrado, dos Neves e Nhundiaquara, na Serra do Mar. A medida vale desde a foz do rio Nhundiaquara até 500 metros acima do encontro com o rio do Neves.

Os rios foram atingidos, na semana passada, pelo derramamento de óleo do poliduto da Petrobras que leva combustível da refinaria presidente Getúlio Vargas, em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, até o porto de Paranaguá.

Assim como a pesca, o IAP também reforçou na portaria a proibição de qualquer tipo de queima em vegetação, mesmo as controladas, numa distância inferior a 200 metros de largura das margens dos rios que foram comprometidos pelo óleo. 

Auditoria – O IAP está estudando em conjunto com oito ONGs ambientais, que fazem parte do Conselho Estadual do Meio Ambiente, a realização de uma auditoria independente em todas as unidades da Petrobras no Paraná.

A auditoria teria o objetivo de levantar a situação das instalações da empresa para prevenir contra futuros acidentes como o ocorrido na Serra do Mar.

Segundo o secretário estadual do Meio Ambiente e diretor do IAP, José Antônio Andreguetto, a realização dependeria de recursos financeiros e da definição do que seria auditado. “Pela resolução, seria a Petrobras quem contrataria uma empresa para auditoria e apenas nos entregaria o laudo. A nossa intenção é contratar a empresa e acompanhar todo o processo”, explica Andreguetto que pretende, antes disso, realizar uma avaliação mais completa sobre os impactos causados pelo vazamento.
(Último Segundo com Gazeta do Povo)