Rio vai retirar lodo da Lagoa Rodrigo de Freitas

Com o objetivo de melhorar as condições ambientais e reduzir os riscos da ocorrência de mortandade de peixes, a Secretaria estadual de Meio Ambiente implementará até o final do semestre o projeto de sucção do lodo acumulado no fundo da Lagoa Rodrigo de Freitas.

O projeto já se encontra em fase final de elaboração, depois de quase quatro meses de trabalho e envolverá gastos da ordem de R$ 2 milhões.

Segundo o levantamento da Coope, o volume estimado de lodo no fundo da lagoa chega a um milhão de metros cúbicos, resultado do despejo de esgotos das áreas vizinhas.

Laudo – O secretário de Meio Ambiente do Estado do Rio de Janeiro, André Correa entregou nesta segunda-feira ao presidente da colônia de pescadores da Lagoa Rodrigo de Freitas, Ricardo Mantovani, o laudo da análise feita pelo laboratório central Noel Nutels em peixes retirados vivos da lagoa no último dia 23.

Encomendada pela secretaria municipal de Saúde, a análise constatou que os peixes retirados em frente ao canal do Jardim de Alah estavam bons para o consumo, pois apresentavam odor, aspecto e cor normais. Na avaliação bacteriológica, foi constatado que os peixes não tinham salmonela.

O laudo tem as assinaturas da diretora geral do laboratório, Cláudia R. R. Teixeira, e da assistente de direção, Ana Maria Celestino. 
(Último Segundo)