Sanepar não arrumou tubulação rompida

O prazo dado pela Sanepar para consertar o vazamento de esgoto que está atingindo o Rio Palmital, na Vila Dignidade, em Pinhais, região metropolitana de Curitiba,no Paraná, venceu no domingo, mas até o dia 12 a situação ainda não tinha sido solucionada.

O problema foi denunciado à Sanepar em 1º de março e a empresa havia estimado que 10 dias seria o tempo necessário para arrumar o vazamento.

A Sanepar informou que o vazamento deve ser contido ainda nesta terça-feira. Segundo a empresa, embora o esgoto continue a vazar para o rio, 70 metros de uma nova tubulação já foram construídos no local. O que estaria faltando seria o término da construção de dois poços de visita.

Quando os poços estiverem prontos, será feita a interligação entre a antiga tubulação (que está vazando) e a recém-construída, o que desviaria o fluxo do local danificado.

A Sanepar ressalvou, porém, que eventuais chuvas que caíssem sobre a região poderiam atrasar um pouco mais a obra e a solução do problema.

A empresa também informou que vai elaborar um estudo para a proteção das margens do Rio Palmital. A tubulação que está vazando rompeu por causa do desmoronamento causado por erosão na margem do rio.

O presidente da Associação Paranaense de Proteção dos Mananciais do Alto Iguaçu e da Serra do Mar, Haroldo de Paula Júnior, lamenta a morosidade do conserto pela Sanepar.

Ele lembra que a opinião pública se sensibiliza contra a vazamentos de óleos, como os que a Petrobrás tem sido protagonista, mas esquece que vazamentos de esgoto também contribuem decisivamente para a degradação ambiental.
(Gazeta do Povo)