McDonald´s reforçará padrões para evitar doença da vaca louca

A rede de fast-food McDonald´s, que vem enfrentando temores da doença da vaca louca na Europa, disse que vai fazer com que seus fornecedores de carne bovina nos Estados Unidos cumpram os padrões para garantir que a doença cerebral não atinja sua produção de hambúrgueres no país.

O McDonald´s, um dos maiores compradores de carne bovina do mundo, determinou um prazo final até 1º de abril para que seus fornecedores apresentem a documentação de que o gado que eles compram estão de acordo com os padrões da FDA -Food and Drug Administration, agência norte-americana reguladora de drogas e alimentos, para ração animal, disse um porta-voz na terça-feira.

A empresa, com base em Oak Brook, em Illinois, espera o cumprimento de 100% de seus fornecedores de carne, disse o porta-voz, Walt Riker.

“Queremos ajudar a construir barreiras extras de segurança na cadeia de fornecimento de alimentos nos Estados Unidos”, disse Riker.

Acredita-se que os animais contraiam a doença ao consumir tecidos infectados de outros animais e em 1996 os criadores de animais dos Estados Unidos concordaram em não fornecer ao gado ração contendo restos de gado bovino ou de qualquer outro animal como ovelhas e cabras.

No ano seguinte, a FDA proibiu oficialmente o uso dessas rações na indústria de gado, mas a agência disse em janeiro que muitas empresas que produzem ração animal nos Estados Unidos não estavam seguindo os regulamentos com o objetivo de impedir que a doença da vaca louca se dissemine a humanos caso entre nos Estados Unidos.

A doença da vaca louca, ou BSE – encefalopatia espongiforme bovina foi descoberta na Grã-Bretanha em 1986. Acredita-se que a forma humana da doença seja contraída pelo consumo de carne bovina de animais contaminados. Até agora, não foram registrados casos de BSE nos Estados Unidos.
(Bol Notícias com Reuters)