Brasil vai sequenciar genoma de eucalipto e fungo do cacau

Dois novos projetos em genômica financiados pela Fapesp -Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo devem ser lançados em breve. Os próximos alvos são os genomas do eucalipto e do fungo causador da vassoura-de-bruxa, doença que atinge o cacau, segundo José Fernando Perez, diretor científico da Fapesp.

“O projeto do eucalipto é de grande interesse econômico e será co-financiado pela Fapesp e mais quatro empresas – Votorantim, Suzano, Ripasa e Duratex”, disse Perez.

De acordo com Perez, o projeto já está em fase final de avaliação e deve estar pronto em um mês. “Já está tudo no papel e temos todos os ingredientes”, acrescentou Perez.

Além disso, a Fapesp está estudando o desenvolvimento de um projeto de sequenciamento do genoma do fungo causador da vassoura-de-bruxa, doença que atinge o cacau.

“Também estão sendo feitos alguns contatos com a indústria de chocolate, que tem muito interesse na pesquisa”, afirmou Perez.

O diretor científico da Fapesp também anunciou que o Brasil vai participar de um estudo internacional de sequenciamento do genoma do principal mosquito transmissor da malária na África, “Anopheles gambiae”.

“Foi confirmada nossa participação nesse estudo em conjunto com a Celera Genomics, o Instituto de Pesquisa do Genoma dos Estados Unidos, o Instituto de Biologia Molecular e Biotecnologia da Grécia, o Instituto Pasteur na França, o Laboratório Europeu de Biologia Molecular na Alemanha, a Universidade de Notre Dame nos Estados Unidos e o Centro Francês de Sequenciamento”, disse Perez.

Outras pesquisas – A Fapesp anunciou ainda os mais recentes resultados da Onsa – Organização para Sequenciamento e Análise de Nucleotídeos, rede criada pela fundação que reúne 65 laboratórios de sequenciamento e bioinformática no Estado de São Paulo, como a conclusão do genoma da “Xanthomonas campestri”, bactéria que produz a goma xantana, um importante lubrificante e ingrediente da indústria de alimentos.

“Também está em fase de conclusão o genoma da “Leifsonia xyli xyli”, bactéria que contamina as plantações de cana após a colheita, e o projeto da bactéria dos vinhedos, a “Xylella fastidiosa of grapevines”, que está sendo co-financiado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos”, acrescentou Perez.

Além disso, como resultado do projeto Genoma Humano do Câncer, que produziu 1 milhão e 120 mil sequências de fragmentos de genes extraídos de células tumorais, estão sendo desenvolvidos outros projetos.

São eles o Genoma Clínico, relacionado à informação gerada no Genoma Humano do Câncer misturado à prática clínica, o Genoma Estrutural, que estuda a estrutura tridimensional de moléculas de proteínas associadas a genes identificados no Genoma Humano do Câncer, um projeto de bioinformática e o estudo de alguns genes, disse Ricardo Brentani, diretor do Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer no Brasil.

Além disso, a lista das pesquisas em genômica inclui 25 laboratórios de todo o país, que estão envolvidos no sequenciamento do genoma da “Chromobacterium violaceum”, uma bactéria encontrada no Rio Negro com propriedades quimioterápicas. A pesquisa está sendo realizada graças ao programa recém-criado pelo CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o Genoma Nacional, e sua Rede Nacional de Sequenciamento.
(Yahoo Notícias com Reuters)