Violenta erupção solar ameaça afetar o planeta

Cientistas da Nasa observaram esta semana a explosão de gigantescas manchas solares, liberando energia equivalente à de milhares de bombas atômicas – num fenômeno chamado ejeção de massa coronal.

As maiores erupções solares registradas nos últimos 20 anos podem afetar o funcionamento de satélites e de redes de transmissão de energia.

Pesquisadores acreditam que parte das descargas do Sol poderá atingir a Terra neste fim de semana, sendo capaz de interferir no campo magnético do planeta e, por isso, no funcionamento de satélites e de redes de energia.

Nasa observou as ejeções numa região chamada Noaa 9393 e diz que seu diâmetro é superior a 140 mil quilômetros, ou seja, 22 vezes maior do que o diâmetro da Terra.

No pico de um ciclo de 11 anos de duração, a atividade solar tornou-se extremamente intensa nas últimas semanas.
De acordo com os especialistas, as descargas violentas de raios na superfície do astro, em áreas conhecidas como manchas solares, são comuns em períodos de intensa atividade das regiões magnéticas da estrela.

A intensidade das erupções permite que as manchas solares sejam observada a olho nu. Os astrônomos aconselham, no entanto, que não se olhe para o Sol sem uma proteção especial.

Os cientistas estão prevendo uma espécie de tempestade eletromagnética quando as descargas atingirem a Terra. Além dos problemas nas comunicações, podem ocorrer auroras intensas nas regiões polares do planeta.
(ambientebrasil)