Investigação da P-36 pode esclarecer situação da Petrobras

A audiência pública que acontece nesta terça-feira, às 14h30, para investigar o acidente ocorrido na plataforma P-36 da Petrobras, vai contar com o depoimento de David Zylbersztajn, diretor-geral da ANP – Agência Nacional do Petróleo.

Nos últimos dois anos morreram 59 trabalhadores em acidentes de trabalho na Petrobras. A falta de pessoal qualificado, numa empresa que ficou dez anos sem realizar concursos públicos, a terceirização dos serviços, o longo período sem ações de prevenção de acidentes e controle ambiental e a pressa no crescimento para atingir a auto-suficiência na produção de petróleo estão entre as causas investigadas. O depoimento desta tarde pode ajudar a esclarecer essas questões.

Petrobras – A empresa investiu 1,2 bilhão de reais nos últimos 12 meses em ações e programas voltados para a questão ambiental e prevenção de acidentes, áreas que ficaram décadas seguidas relegadas a segundo plano. A diretoria da empresa considera que parte deste descaso é oriundo de períodos em que a visão empresarial e o corporativismo não davam muita importância ao setor e à opinião pública.

O deputado Luciano Pizzatto (PFL-PR), relator da comissão especial da Câmara Federal que investiga o acidente da P-36 e as condições de segurança de outras plataformas da empresa, destaca a abertura das informações por parte da direção da Petrobras, “permitindo uma visão clara das questões relacionadas ao trágico problema, que destruiu a maior plataforma de exploração petrolífera do mundo e matou trabalhadores”. Para ele ” é lamentável que isto ocorra quando se trabalha com o objetivo de transformar a companhia em referência mundial e se chegar a 2010 num posição de liderança e faturamento de 35 bilhões de dólares”.
(ambientebrasil)