Desperdício de água: vazamentos chegam a 30 mil por mês em SP

Do total da perda em São Paulo, 90% estão concentrados nos hidrômetros e nas pequenas tubulações que ligam os imóveis às grandes redes. Mas esses 10% restantes é que são os responsáveis por grandes vazamentos – muitos deles causados, segundo a assessoria da Sabesp, porque ninguém realmente conhece o subsolo da cidade.

No último sábado, funcionários da Telefônica romperam um cano na Rua Campos Elíseos, em Campo Limpo. O acidente foi solucionado com pedaços de madeira, mas no domingo de manhã um muro não resistiu à infiltração e cedeu.

Há 15 dias foi a Sabesp que rompeu uma galeria aberta pela Prefeitura na Avenida Vila Ema (zona leste). O buraco engoliu uma restroescavadeira da companhia. A idade média das tubulações é de 30 anos. Mas a Adutora Rio Claro, a mais antiga da cidade, é de 1930.

Das 30 mil ocorrências mensais, 5% acontecem no subsolo. Elas são responsáveis por 30% do volume de água desperdiçado e podem levar meses para causarem danos como o buraco que surgiu às 5h30 do último sábado na Praça Dom Gastão Liberal Pinto, no cruzamento das Avenidas Brigadeiro Luís Antônio e São Gabriel (zona sul).

O rombo, de quatro metros de diâmetro e oito de profundidade, causou a perda de 800 mil litros de água. Cada vazamento leva em média cerca de 13 horas para ser consertado.

Outro exemplo de desperdício acontece num prédio na Alameda Lorena, zona sul, construído há dois anos em cima de uma mina de água. Para a água não invadir a garagem, é usada uma bomba que joga o produto na calçada.

Desperdício Enquanto 300 mil moradores dos municípios de Cotia, Embu, Embu-Guaçu e Itapecerica da Serra aguardam o começo do rodízio de água, marcado para 17 de abril, o paulistano usa o dobro do considerado necessário pela Organização Mundial da Saúde. Uma pessoa precisa de cerca de 100 litros do produto por dia, mas na Grande São Paulo cada um dos 17 milhões de habitantes usa de 180 a 200 litros.

O banho é o responsável por 55% desse volume. A limpeza de louças, por 18%, e a de roupas, por 11%. Um banho de 15 minutos joga pelo ralo de 45 a 135 litros de água, dependendo da vazão do chuveiro. Uma válvula de descarga mal regulada pode usar 30 litros cada vez que é acionada – cinco vezes a mais que o normal. Escovar os dentes ou fazer a barba com a torneira aberta, por exemplo, significa desperdiçar 12 litros de água.(saneamento.com)