Nuvem de poeira e poluição chega ao Canadá

Uma gigantesca nuvem de poeira e poluição originada nos desertos da China e da Mongólia cruzou o oceano Pacífico e atingiu o oeste do Canadá. Para os meteorologistas, esta é uma dramática demonstração dos problemas da poluição atmosférica.

A nuvem, que em alguns pontos chegou a ter mais de 2.000 quilômetros de largura, foi registrada por aviões, e está começando a se dissipar.

O fenômeno começou com uma tempestade de areia no Deserto de Taklimakan, no oeste da China, e no deserto de Gobi, na Mongólia, e foi alimentada por ventos fortes, informou Rene Servranckx, metereologista canadense.

A nuvem colheu poluição industrial sobre a China, cruzou o Japão e a Rússia até o Golfo do Alasca, onde começou a descer a costa canadense.

Segundo especialistas, o fenômeno raro pode representar perigo aos aviões, já que chegou a altitudes de até 11 quilômetros.
(ambientebrasil)