Paisagem do Rio pode virar Patrimônio Mundial

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Ministério da Cultura (Minc) estão desenvolvendo parceria para que algumas das mais significativas paisagens do país sejam reconhecidas pela Unesco como Patrimônio da Humanidade. É o projeto Paisagens Culturais do Rio de Janeiro, que está sendo elaborado há quase dois anos. O governo brasileiro está aproveitando uma nova tendência da Unesco, criando uma categoria mista para casos em que é difícil separar o patrimônio natural do cultural.

O secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA, José Pedro Costa, preside hoje, no Rio de Janeiro, a comissão que elabora a proposta brasileira. As discussões são realizadas mensalmente e envolvem técnicos do MMA, Minc, Ibama, Iphan e Jardim Botânico. As reuniões têm o objetivo de definir as paisagens que serão apresentadas e o texto do projeto. A proposta deverá ser enviada à sede da Unesco, em Paris, até fevereiro de 2002 para que seja submetida ao Comitê do Patrimônio Mundial no final do ano.

O grupo já decidiu incluir na lista que será apresentada à Unesco a entrada da Baía de Guanabara, o Pão de Açúcar, os Morros do Leme, Cara de Cão, do Macaco e do Pico, Passeio Público, Outeiro da Glória, Aterro do Flamengo, Parque Nacional da Tijuca, Calçadão e Areias de Copacabana e o Jardim Botânico.

Desde 1980, a Unesco vem transformando algumas regiões do Brasil em sítios culturais ou naturais do Patrimônio Mundial, contribuindo para a preservação da história e do meio ambiente nacional. Hoje, são 11 os sítios, dos quais quatro estão sob responsabilidade do MMA: Parque Nacional do Iguaçu, Parque Nacional Serra da Capivara, Complexo Pantanal e Parque Nacional do Jaú. (InforMMA)