Ministro destaca participação da sociedade em trabalho ambiental

O ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, destacou hoje no Rio de Janeiro a importância da participação da sociedade no trabalho de revitalização ambiental na Baía de Guanabara.

“Orgulha-nos promover um trabalho cuja finalidade é sensibilizar e mobilizar os diferentes setores sociais para a defesa deste importante patrimônio ambiental”, enfatizou. A declaração foi feita durante lançamento do Programa de Educação Ambiental, que integra o plano de revitalização Ambiental Baía de Guanabara.

O programa será desenvolvido pelas prefeituras dos municípios da região, com recursos disponibilizados pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis(Ibama), visando à melhoria das condições de destinação final dos resíduos sólidos.

Compareceram à solenidade o governador do Rio, Anthony Garotinho, representantes da superintendência regional do Ibama, parlamentares, prefeitos e empresários.

Os estudos comparativos, segundo o ministro, revelam que entre 1500 e 1996 a Bacia da Baía de Guanabara registrou enormes prejuízos ambientais. “Nesses 400 anos, houve perda de um quinto da área da própria Baía e artificialização de quase toda a orla, com a eliminação de praias e enseadas, a partir de aterros do litoral de Botafogo até Duque de Caxias (orla ocidental) e de Niterói a São Gonçalo (orla oriental)”, acrescentou.

Citou terem sido destruídos quase dois terços de Mata Atlântica e manguezais, eliminadas 37 das 39 lagunas e desaparecidos mais de dois terços dos brejos, alagados e pântanos.

O ministro informou que todos os dias a Baía de Guanabara recebe 465 toneladas de esgoto doméstico. Disse que, desse total, apenas 68 toneladas recebem algum tipo de tratamento.

Em referência ao Movimento Protetores da Vida, Sarney Filho disse que os jovens do nosso País têm um potencial capaz de propiciar transformações em toda a sociedade brasileira.

Lembrou que o Movimento, que começou com 135 estudantes, já conta com mais de cinco mil jovens em todo o País. “Essa resposta revela, sem qualquer dúvida, o desejo e o interesse da nossa juventude de ter uma participação concreta na construção de um novo modelo de desenvolvimento, fundamentado na conservação ambiental, na justiça social e econômica e na solidariedade humana”, continuou.

“Entendemos que este conjunto de ações é um passo importante para uma transformação efetiva da realidade socioambiental da Baía de Guanabara”, concluiu Sarney Filho. (Agência Brasil)