Agricultura de subsistência ameaça reservas

Segundo pesquisadores da IUCN- World Conservation Union, organização ambiental que tem sede em Genebra na Suiça, a agricultura de subsistência é uma das principais ameaças a áreas de conservação ecológica.

Um estudo da entidade revelou que quase metade das 17 mil maiores reservas naturais do planeta é utilizada por comunidades pobres que precisam plantar para sobreviver.

De acordo com o antropólogo Jeffrey McNeely, coordenador da rede de 10 mil cientistas que compõem a IUCN, “Dos 900 milhões de miseráveis que vivem com menos de US$ 1 por dia, 630 milhões vivem em áreas rurais que abrigam as maiores concentrações de biodiversidade, afirma Mcneely, que conclui “As áreas que queremos proteger são onde vivem os mais pobres dos pobres.”(ambientebrasil)