Shell é intimada a indenizar moradores de Paulínia

O prefeito de Paulínia, Edson Moura, deu à Shell, nesta quarta-feira, o prazo de até 90 dias para discutir as indenizações às pessoas contaminadas por agrotóxicos da classe dos “drins”, produzidos pela antiga unidade da empresa, às margens do rio Atibaia, e acertar a compra das propriedades atingidas.

Os resultados dos exames realizados pela Prefeitura com os moradores do bairro Recanto dos Pássaros devem sair em 60 dias. Segundo os médicos, cerca de 70% dos examinados até agora apresentam indícios de contaminação.

A empresa reafirma que ela própria fez a denúncia de contaminação aos órgãos públicos e que as primeiras investigações tiveram início em 1990, época que o Brasil ainda não possuía tecnologias capazes de identificar a presença de Drins. A Shell também alega, novamente, que o rio Atibaia não foi contaminado e, sim, o solo.

No entanto, dados apresentados pela própria Shell no inquérito público demostram que, desde 1979, a empresa sabia da presença de defensivos agrícolas nos seus efluentes. O que reforça as denúncias dos ambientalistas de aviso tardio às autoridades.
(ambientebrasil)