PNUMA CRIA PROJETO DE PESQUISA PARA CONHECER ORGANISMOS SUBTERRÂNEOS

Criado para financiar projetos na área ambiental, o Pnuma- Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente , anunciou, nesta semana, projeto de pesquisa para identificação dos seres que vivem no solo. São organismos minúsculos, dos quais se sabe muito pouco e que vivem milímetros abaixo da superfície da terra, desempenhando um papel fundamental para a qualidade dos solos.

A quantidade de água que os solos podem absorver, por exemplo, depende desses organismos. Áreas com baixa quantidade de seres no subsolo terrestre tendem a ser mais secas e a enchentes catastróficas. Além disso, a ciência já comprovou que bactérias e fungos ajudam a eliminar elementos poluentes de águas subterrâneas. Os microorganismos contribuem ainda para liberação do dióxido de carbono, do metano e de outros gases causadores do efeito estufa.

Estima-se que existam, no mundo, entre 10 milhões e 100 milhões de espécies. Atualmente, há 1,6 milhões de espécies descritas e os microorganismos são os menos conhecidos nesta lista. As estimativas é que haja 40 mil espécies de bactérias, 72 mil de fungos (sendo que 35 mil escondidos sob a Terra), 45 mil de ácaros, 5.000 de nematóides, 1.900 de protozoários. Insetos como isópteros e formigas também vivem sob a terra. (Agência Brasil om informações da France Press)