CRIAÇÃO DE PARQUES NA FLORESTA ATLÂNTICA ESTÁ SOB CONSULTA PÚBLICA

A criação de cinco novas unidades de conservação na Mata Atlântica está submetida à Consulta Pública pelo IBAMA através do site (www.ibama.gov.br). O prazo para as manifestações é até o dia 05/12/02.

Estão sob consulta a criação dos parques da Mata Escura/MG, dos Pontões Capixabas (ES), da Serra do Itajaí (SC) e a ampliação dos parques de São Joaquim (SC) e do Conjunto Serra Geral/Aparados da Serra (SC/RS).

O Ibama receberá as manifestações através dos e-mails consultamataescura@sede.ibama.gov.br , consultapontoes@sede.ibama.gov.br, consultaitajai@sede.ibama.gov.br consultasaojoaquim@sede.ibama.gov.br e consultaserrageral@sede.ibama.gov.br, respectivamente.

Também podem ser enviadas, por carta para o endereço: IBAMA/Diretoria de Ecossistemas – Coordenação Geral de Conservação de Ecossistemas – SAIN – AV. L-4 Norte Ed. Sede do IBAMA Cep: 70.818.900 – Brasília – DF.

A criação do Parque Nacional da Serra do Itajaí protegerá cerca de 50 mil hectares de Floresta Ombrófila Densa Atlântica, em Santa Catarina, nos municípios de Blumenau, Indaial, Gaspar, Botuverá, Guabiruba, Apiúna, Vidal Ramos e Presidente Nereu.

Trata-se de uma área conservada na qual moram menos de 30 famílias. Foi considerada como de importância biológica extremamente alta no Seminário de Avaliação e Ações Prioritárias para a Conservação da Biodiversidade da Mata Atlântica e Campos Sulinos, realizado em agosto de 1999.

Já a Mata Escura/MG fica nos municípios de Almenara e Jequitinhonha, junto à margem esquerda do Rio Jequitinhonha. Representa um dos últimos conjuntos de fragmentos florestais de Mata Atlântica do nordeste do Estado de Minas Gerais.

Os Pontões Capixabas/ES abriga floresta, onde parte das árvores perde as folhas na estação seca e fria, foi praticamente dizimida em sua área de ocorrência no Espírito Santo, substituída por agricultura e pastagem.

Os remanescentes correspondem à áreas de maior declividade ou acesso difícil, como o topo dos pontões rochosos, condições que favorecem a existência de alta diversidade biológica. A região apresenta uma ocupação rural de pequenas propriedades, com pastagens, café e outras culturas de subsistência.

Os estudos em desenvolvimento objetivam definir um perímetro de unidade de conservação que provoque o menor impacto possível sobre as atividades já estabelecidas. A criação de um parque nacional, associada à beleza ímpar da região, irá proporcionar um crescimento do turismo, gerando novas opções econômicas para os municípios envolvidos.
(Últimas da Mata Atlântica)