CONCEDIDA 1ª PERMISSÃO PARA IMPORTAR CÉLULAS-MÃE

O Instituto Robert Koch de Berlim concedeu ao neurologista Oliver Brüstle, de Bonn, a primeira autorização para importar células-mãe extraídas de embriões humanos, quase um ano depois que o Parlamento aprovou, sob fortes restrições, a aquisição de células.

Brüstle, um dos pioneiros na Alemanha no experimento com células embrionárias de ratos, foi o primeiro cientista a solicitar a pesquisa com células humanas. O neurologista informou hoje que os experimentos devem começar no início de janeiro com as células encomendadas ao laboratório do ginecologista israelense Jospeh Itskovitz, em Haifa.

Brüstle destacou que por enquanto vai multiplicar as células e confeccionar protocolos de diferenciação. Para depois, se propôs a cultivar neurônios com o objetivo de testar suas propriedades na cura de doenças como o mal de Parkinson.

No dia 30 de janeiro, o Parlamento aprovou permitir sob estrita supervisão a importação de células-tronco humanas, mas não sua produção em território nacional. Apenas um dia depois que o Parlamento aprovou a lei, o Conselho Superior de Pesquisa deu sinal verde à solicitação de Brüstle, que, no entanto, ainda teve que esperar a formação e o funcionamento das comissões para a vigilância e supervisão dos projetos de pesquisa. (Agência EFE)