FUNASA DESCARTA EPIDEMIA DE VARÍOLA NO BRASIL

O diretor do Centro Nacional de Epidemiologia da Funasa – Fundação Nacional de Saúde, Jarbas Barbosa da Silva Júnior, negou, em Brasília (DF), que o País poderá sofrer uma epidemia de varíola. Ele explicou que a notícia provém da suspeita de que alguns países estariam planejando ataques bioterroristas em que seria usado o vírus Orthopoxvirus variolae, microorganismo causador da doença.

Barbosa garantiu que o Brasil está fora da rota de um eventual ataque e, além disso, que o Governo federal manteria programas de prevenção e segurança para atender possíveis casos de infestação. ‘Não é necessário fazermos um programa de vacinação em massa, como o que o governo dos EUA está querendo usar’ – esclareceu o diretor.

O técnico ressaltou que adotar um programa de vacinação em massa pode causar pânico na população e provocar uma busca descontrolada pelo imunizante, que é a mesma usada na década de 70, época em que a doença foi erradicada do mundo. Os padrões de qualidade sanitários não atendem mais às necessidades atuais.

A vacina contra a varíola causa efeitos colaterais graves que podem levar até à morte. A doença é transmitida de pessoa para pessoa e causa febre alta, mal-estar e dores, durante cerca de cinco dias. Depois, a doença toma sua forma mais violenta: começam a aparecer erupções avermelhadas na garganta, na boca, no rosto e se espalha pelo corpo inteiro. Os EUA estão desenvolvendo uma vacina mais eficiente, com menos efeitos colaterais, que estará pronta, provavelmente, em 2004. (No Olhar.com)