CPI DA BIOPIRATARIA OUVE ACUSADOS NA BAHIA

Cerca de US$ 3 bilhões são movimentados anualmente por meio do tráfico de animais e plantas silvestres brasileiros. A informação foi divulgada pelo presidente da CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito de Biopirataria da Câmara Federal, deputado Luiz Ribeiro (PSDB-RJ). A Comissão está em funcionamento desde novembro último.

Na semana passada os integrantes da CPI estiveram na Bahia apurando denúncias e coletando depoimentos para compor o relatório final, que deverá ser apresentando até o dia 31 deste mês. Ao todo, 16 pessoas foram ouvidas, entre elas o ex-traficante Joselito dos Santos, que desde 1990 estava envolvido no comércio ilegal de animais silvestres. Joselito apontou o mexicano Juan Carlos como um dos principais negociadores da região.

De acordo com o relator da CPI, deputado Sarney Filho (PFL-MA), será anexado ao relatório um mapa do tráfico de plantas e animais silvestres do Brasil com as principais espécies da flora e fauna na mira dos traficantes, além das rotas, faturamento e nomes das pessoas envolvidas.

MAPA

Na terça-feira passada (7), ainda em Salvador, foram ouvidos acusados de tráfico ou conivência com traficantes e responsáveis do Ibama – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, entre eles o gerente executivo na Bahia, José Guilherme da Mota, que se defendeu das denúncias de emissão irregular de ATPF – Autorização para Transporte de Produtos Florestais de espécies nativas da Mata Atlântica.

O coordenador da Rede de Organizações Não-Governamentais da Mata Atlântica, Renato Cunha, também ouvido pelos membros da CPI, afirmou que espécies nativas da Mata, como o pau-brasil (Caesalpimia echinata), cujo corte é proibido, e o jequitibá (Cariniama estellensis) podem estar sendo traficados deliberadamente. O deputado Luiz Ribeiro pediu à Rede de Organizações Não-Governamentais da Mata Atlântica a apresentação dos documentos que atestam essas denúncias para compor o relatório da Comissão.

MADEIREIRAS

Na quinta-feira passada (9), foi realizada nova audiência na cidade baiana de Eunápolis, onde, em diligência a três madeireiras, foram encontrados documentos que demonstram o envolvimento de funcionários do Ibama no tráfico de madeira.

Os integrantes da CPI devem se reunir nos próximos dias 28, 29 e 30 para a apresentação e votação do relatório final.
(Agência Câmara)