UNIÃO DE INSTITUIÇÕES PROMOVE CURSO DE FORMAÇÃO DE OBSERVADORES DE BORDO, EM ITAJAÍ/SC

Começa nesta segunda-feira, dia 27, no campus I da Univali, em Itajaí, o curso de Observadores de Bordo, voltado para estudantes e pesquisadores que atuem ou desenvolvem projetos de pesquisa e de extensão voltado para ambientes marinhos. O curso acontece durante toda a semana, das 8h às 18h, com oficinas teóricas e práticas, palestras e uma visita técnica à empresa de pescados Kowalsky. O curso terá ainda a presença do pesquisador espanhol Carles Carboneras, da Sociedade Espanhola de Ornitologia e um dos coordenadores do programa de recuperação das aves afetadas pelo derramamento de óleo do navio Prestíge na costa da Galícia.

O objetivo do curso é oferecer aos participantes as viabilidades profissionais de um amplo campo de trabalho científico, que abrange desde a observação de pescarias costeiras e em águas profundas até a observação de cetáceos, aves e tartarugas marinhas. Para tanto, o curso está sendo promovido pelo Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do Mar (CTTMar) da Univali, em parceria com o Projeto Albatroz, Projeto Tamar e o Instituto Baleia Jubarte, instituições que atuam diretamente com pesquisas pesqueiras, conservação de aves, de tartarugas e de baleias, respectivamente.

“A amplitude do trabalho de observação de bordo possibilita o intercâmbio de instituições e, principalmente, uma economia financeira significativa, visto que um mesmo observador pode coletar dados para vários projetos quando em alto mar”, explica o coordenador do Programa de Observadores de Bordo em Embarcações Arrendadas (PROA) da Univali, professor Roberto Wahrlich.

Este programa é coordenado pela Univali através de um convênio firmado, até o ano passado com o Departamento de Pesca e Aqüicultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Seu objetivo é coordenar as atividades de um profissional (observador de bordo) que, a bordo de barcos arrendados pela industria pesqueira nacional, observar as tecnologias aplicadas às pescarias de espécies como o peixe-sapo e o caranguejo de profundidade, bem como as áreas em que estes são capturados.

“No mar, nós estamos freqüentemente observando as atividades de pesca e, naturalmente, observamos uma gama de aves, cetáceos e outros animais marinhos que acompanham os barcos e as pescarias”, revela o acadêmico do curso de Oceanografia da Univali, Carlos Magno de Lima e Silva, o maior entusiasta para a realização do curso.

Ele embarcou no navio de bandeira japonesa Kimpo Maru, cuja arte de pesca está baseada no caranguejo de profundidade. “O embarque aconteceu em Santos (SP) e nele foram realizadas algumas atividades para o Projeto Albatroz”, comenta Carlos Magno. “Daí para reunir as instituições foi uma questão de conversações em busca de objetivos comuns”, define.

Além de abordar as formas de observação de bordo de cada atividade, o curso a ser realizado a partir da próxima semana, na Univali, vai destacar a troca de experiências profissionais e abranger noções de primeiros socorros, atendimentos emergenciais, combate a incêndio e salvatagem.

Mais informações com o professor Roberto Wahrlich, pelo telefone (47) 341-7722 ou pelo e-mail wahrlich@cttmar.univali.br.(CTTMAR)