EXTRAÇÃO NA MATA ATLÂNTICA PODE SER PROIBIDA

O relator da CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito do Tráfico de Animais e Plantas Silvestres, conhecida como CPI da Biopirataria, deputado Sarney Filho (PFL-MA), vai propor a proibição de atividade madeireira na Mata Atlântica, não admitindo nem mesmo planos de manejo.

A medida tem em vista combater a extração ilegal de madeira, principalmente do mogno, espécie ameaçada de extinção. A fiscalização também será mais efetiva, não só na Mata Atlântica, como nos outros grandes ecossistemas do País.

Sarney Filho está convencido de que existem quadrilhas organizadas atuando no setor. “Na área do tráfico de animais silvestres, nós estamos mostrando um mapa de como ocorrem determinadas rotas de tráfico. Vamos pedir à Polícia Federal que ela assuma o controle da questão. Isso facilitará muito a investigação, inclusive porque já temos os nomes de alguns suspeitos envolvidos no tráfico internacional”.

Quanto à biopirataria, ou seja, roubo de plantas e animais nativos, o deputado defende no relatório uma complementação da legislação para incluir punições mais severas. (Agência Câmara)