FEEMA ENCONTRA MATERIAL TÓXICO EM TERRENO ABANDONADO NO RIO

Policiais da DPMA – Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e técnicos da Feema – Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente encontraram nesta terça-feira (28), durante operação de fiscalização em um terreno da Empresa Saint Gobain, em Senador Camará, no Rio, uma grande quantidade de resíduos industriais tóxicos. Segundo informações da DPMA, a área possui 33 mil metros quadrados, está abandonada há pelo menos dez anos e não possui licença ambiental. Um inquérito já foi instaurado para apurar o caso.

Foi encontrada pela fiscalização uma grande quantidade de óleo combustível com 60 mil partes por milhão (ppm), quantidade que ultrapassa o limite estabelecido pela legislação ambiental que é de 50 mil a 56 mil ppm. Também foi encontrado 63 mil toneladas de amianto contaminando o solo.

Segundo a polícia, a empresa Saint Gobain produz telhas e caixas d´água, utilizando o amianto, e possui filiais em Guadalupe (RJ), São Paulo e Rio Grande do Sul, atualmente, em funcionamento. Técnicos da Feema, que participaram da fiscalização, informaram que pedirão à empresa um relatório sobre as condições do local, bem como a remoção de todo o material.

Foram coletadas amostras do óleo e do solo onde o amianto está enterrado para análise laboratorial. Em relação ao óleo combustível, constatou-se elevado índice de contaminação nas amostras. Até o final desta semana o centro de pesquisas da Petrobras deverá divulgar o laudo referente à contaminação do solo pelo amianto. A Feema está exigindo da empresa a realização de análises do solo para avaliar o grau de contaminação do material encontrado, estabelecendo um prazo máximo de trinta dias para o cumprimento da exigência.
(Com informações da Ascom Gov. do RJ)