FAO defende proteção das florestas para reduzir fome e pobreza

A FAO – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura alertou nesta terça-feira (25) que a proteção e a boa manutenção das florestas são fundamentais para reduzir a fome e a extrema pobreza no mundo. A agência, com sede em Roma, sedia nestes dias uma reunião de especialistas florestais em que se colocou em evidência a importância das florestas por serem “fonte de renda, trabalho e bens de consumo para famílias pobres”, diz a FAO em comunicado.

A organização destaca a contribuição das florestas para alcançar as Metas de Desenvolvimento do Milênio, que abrangem a redução pela metade, até 2015, da fome e da pobreza extrema no mundo.

Cerca de 240 milhões de pessoas pobres que vivem em áreas florestais dependem da proteção das florestas e da indústria que geram, que se consolidou como “uma das áreas fundamentais para a economia mundial”, pois representa cerca de 3% do comércio do planeta, segundo os especialistas.

Para a FAO, as florestas são de vital importância para a “sustentabilidade” do meio ambiente e a conservação dos recursos naturais, pois diminuem as mudanças climáticas, melhoram os ambientes urbanos, promovem a produtividade do terreno e protegem recursos marítimos e litorâneos.

Por isso, os especialistas fizeram um pedido para fortalecer a cooperação regional no âmbito florestal e incentivar a responsabilidade social das indústrias do setor privado.

Em relação a este objetivo, a agência pede que os países em desenvolvimento e a comunidade internacional sejam conscientes da contribuição fundamental das florestas para o desenvolvimento sustentável.

Este discurso terá continuidade em março, com a Reunião Ministerial sobre Florestas e Comitê de Montes que está prevista para acontecer na sede da FAO em Roma. (Terra)