Suspensa a proibição de venda de ostras e peixes de Santa Catarina

A Secretaria de Aquicultura e Pesca suspendeu o embargo à comercialização de ostras, mexilhões, mariscos e peixes de água doce cultivados em Santa Catarina. A proibição havia sido imposta na semana passada por causa do aparecimento da doença “mancha branca” em viveiros de camarão no Estado.

De acordo com a Secretaria, todos os focos da doença foram eliminados, porém continua suspensa a comercialização do camarão de cultivo em cativeiro atacado pela doença. A “mancha branca” mata os crustáceos atingidos, mas não prejudica o homem. Na semana passada, 16 tanques de criação foram atingidos pela doença.

Uma comissão formada por técnicos e dirigentes da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca, Ministério da Agricultura e Secretaria de Estado da Agricultura de Santa Catarina começou a trabalhar nesta quarta-feira (26) com o objetivo de eliminar a proibição da comercialização de pescados de cultivo, ostras e mexilhões igualmente cultivados naquele estado, em função da identificação de focos da “mancha branca” em viveiros de camarão.

Ontem (25), o ministro José Fritsch, da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca, e o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Gabriel Alves, acompanhados de assessores técnicos, vistoriaram a área atingida, na região de Laguna (SC), e conversaram com produtores de camarões, peixes, ostras e mexilhões. Também foi promovido um encontro com o governador do Estado, Luiz Henrique da Silveira.

Os primeiros focos da “mancha branca” identificados no Brasil já foram eliminados. Os criatórios já foram esvaziados, desinfetados e estão entrando num período de vazio sanitário. O governo comunicou o fato à Organização Internacional de Epizootias (OIE), organismo internacional que concentra as informações sobre defesa sanitária animal de todo o mundo.(Com informações da Secretaria de Aquicultura e Pesca)