México e Rússia farão satélite contra terremotos

A Unam – Universidade Nacional Autônoma do México e o Instituto Aeronáutico de Moscou (Rússia) pretendem construir um pequeno satélite de dez quilos, que permitirá detectar e prever terremotos, informou nesta quarta-feira (26) a instituição em um comunicado.

O nanosatélite – assim chamado por seu tamanho e peso reduzidos – que “permitirá detectar precursores elétricos e eletromagnéticos, com importante potencial para prever possíveis terremotos, será construído e lançado ao espaço em aproximadamente três anos”, disse a Unam. “Trata-se de uma tecnologia nova com possibilidade de detectar terremotos com maior antecipação do que os sistemas convencionais”, acrescentou a nota.

A partir da emissão do gás radônio, liberado com os movimentos telúricos, “modifica-se o conteúdo de elétrons na ionosfera, o satélite o detecta, e manda o sinal para um receptor que estará na Cidade Universitária”, na capital do México, explicou o comunicado.

O satélite será construído por técnicos do Instituto Aeronáutico de Moscou e estudantes de Doutorado mexicanos. “Já se acertou a cessão da tecnologia e dos projetos da plataforma básica para a Unam, para que possam ser reproduzidos no México”, informa a Universidade.

Os planos para sua construção foram decididos nesta quarta-feira na capital russa, em um convênio assinado pelo reitor da Unam, Juan Ramón de La Fuente, e Mikhail Panasyuk, diretor do Instituto Skobeitsyn de Física Nuclear da Universidade de Moscou. (Agência AFP)