Estudo do BIRD sugere adiamento da transposição do São Francisco

Uma análise feita pelo BIRD – Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento a pedido do governo brasileiro, e que foi apresentada ao vice-presidente José de Alencar em agosto de 2003, sugere que o projeto de transposição do rio São Francisco para o Nordeste Setentrional (Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco) seja adiado e que, em curto prazo, os recursos orçamentários sejam investidos em sistemas de abastecimento locais, com a utilização da água já disponível, na construção de cisternas para captação de água das chuvas e na construção de mais adutoras, com o fortalecimento do Proágua Semi-Árido, além da revitalização do rio.

A existência do estudo do Banco Mundial foi revelada nesta quarta-feira (2) pelo jornal “Correio Braziliense”. Segundo o jornal, o estudo do BIRD diz que o governo brasileiro deveria realizar obras mais baratas para resolver o problema da falta de água no semi-árido nordestino e, somente em médio e longo prazo, implantar grandes projetos, como o da transposição, assim mesmo de forma gradual. A primeira fase da transposição custará cerca de R$ 4,5 bilhões.

O governo procurou desqualificar o estudo. “Essa análise se refere ao projeto de transposição preparado pelo governo anterior”, disse Pedro Brito, que é chefe de gabinete do ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes. Ele também é coordenador geral do projeto. “Não pedimos dinheiro ao Banco Mundial para o projeto e não vamos pedir. Os recursos sairão do orçamento da União. A análise é, portanto, mais uma opinião, como outra qualquer. A integração das bacias é uma decisão do governo brasileiro”, observou Brito.

A assessoria do Banco Mundial confirmou que realizou análises do projeto de transposição a pedido dos governos Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva. O BIRD não quis revelar o conteúdo dessas análises, com o argumento de que os estudos são “confidenciais”. Também não quis manifestar opinião oficial sobre o projeto. O chefe de gabinete do ministro Ciro Gomes disse desconhecer que o governo Lula tenha pedido análise do projeto ao Banco Mundial e reafirmou que a análise é do projeto do governo FHC.

Brito disse também que o governo Lula já está implementando as medidas de curto prazo sugeridas no estudo do BIRD. “O governo tem um grande programa de construção de cisternas, está apoiando a construção de adutoras e investindo fortemente na revitalização do rio São Francisco”, afirmou. “Essas iniciativas não são incompatíveis com o projeto de integração das bacias”, observou.

O governo só espera pela licença ambiental do Ibama – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis para iniciar a obra de transposição do São Francisco. “Assim que sair a licença, o governo divulgará os editais de licitação”, disse Brito. Ele acredita que as obras começarão em maio. A licença ainda depende da conclusão das audiências públicas que o Ibama está realizando em oito Estados, mas que vem enfrentando forte resistência dos opositores ao projeto. (Ribamar Oliveira/Estadão Online)