Maioria de fabricantes de eletrodomésticos usa Selo Ruído

A técnica da Diretoria de Licenciamento e Qualidade Ambiental Elisa Santos e fiscais da gerência do Ibama no Distrito Federal foram ao comércio, na última semana, verificar se o Selo Ruído está sendo realmente usado em eletrodomésticos.

O uso do selo é obrigatório por resolução do Conama – Conselho Nacional do Meio Ambiente em todos os aparelhos domésticos, nacionais ou importados, que gerem ruído quando funcionam, como secadores de cabelos, liquidificadores e aspiradores de pó.

Os fabricantes e importadores destes aparelhos devem solicitar autorização para uso do Selo junto ao Ibama e afixá-lo nas embalagens de seus produtos para informar aos consumidores o nível de potência sonora emitido pelo aparelho.

A equipe visitou três supermercados em Brasília (DF). Em uma das lojas visitadas, os fiscais analisaram 5 marcas de liquidificadores (Mallory, Mondial Super Power, Britânia, Arno e Walita). Todas tinham o selo nas embalagens. Das cinco marcas de secadores de cabelos, apenas a Revlon do Importador Helen of Troy do Brasil Ltda, não usava o selo. Os das marcas Tany, Arno, Black & Decker, Britânia atendiam à exigência.

Aqueles fabricantes e importadores que não estavam em conformidade com as normas, serão notificados pela Diretoria de Licenciamento e Qualidade Ambiental para se adequarem o mais breve possível aos padrões exigidos pelo Ibama.

De acordo com Elisa Santos, apesar de alguns importadores ainda não estarem adequados às normas, o Ibama pode comemorar a utilização do Selo Ruído pela grande maioria dos fabricantes brasileiros. (Verbena Fé / Ibama)