Austrália paga recompensa para deter sapo-cururu

Autoridades da Austrália resolveram oferecer uma recompensa para quem tiver a melhor idéia de como controlar uma praga de sapos-cururu (Bufo marinus), informa o site da “BBC”. Os anfíbios importados do Havaí, na década de 30, se transformaram em uma das maiores ameaças ecológicas do país. O bichinhos peçonhentos ampliaram seu território em mais de 50 quilômetros por ano e, hoje, calcula-se que cerca de 100 milhões de sapos-cururu vivam por lá.

Os sapos-cururu, que medem até 25 centímetros, foram levados à Austrália como uma forma de combater a praga da época na lavoura de cana-de-açúcar, os besouros. A experiência foi considerada um fracasso.

Nem mesmo animais ferozes como crocodilos de água-doce e dingos (espécie de cão selvagem) estão a salvo diante dos sapos. Há relatos de que outros animais nativos, como cobras e cangurus, morreram depois de engolir a pele venenosa dos anfíbios.

O problema é tão sério no norte da Austrália que as autoridades estão oferecendo uma recompensa para quem encontrar uma solução para impedir o avanço dos animais. O inventor Andrew Arthur acredita ter encontrado a solução com o seu engenho “Toad Blaster” – um sistema de som movido a bateria que reproduz o som de um sapo-cururu. (Globo.com)