Dicionário padroniza termos ambientais

Uma publicação que pretende fazer com que pesquisadores de diferentes regiões do Brasil falem a mesma língua. Essa é a proposta da segunda edição do Vocabulário Básico de Recursos Naturais, lançado no final de 2004 pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

O livro reúne verbetes técnicos relacionados à área ambiental. O objetivo é explicar, de maneira simples e concisa, o significado de termos usados em disciplinas como agronomia, astronomia, biologia, botânica, cartografia, climatologia, cristalografia, ecologia, engenharia florestal, física, fitogeografia, geologia, geomorfologia e silvicultura.

O primeiro volume do dicionário foi lançado em 2002 com 2,5 mil definições que incluíam curiosidades como “feto” (tipo de planta) ou “suíte” (tipo de formação rochosa). A segunda edição é resultado de uma grande revisão feita para adequar alguns termos a conceitos científicos atuais. Mais de 300 novos verbetes foram incluídos, referentes principalmente aos campos da zoologia, da paleontologia e dos indicadores ambientais.

“O livro é dividido em dicionário, glossário e vocabulário”, disse o biólogo Celso José Monteiro Filho, coordenador da área de Recursos Naturais do IBGE, à Agência Fapesp – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. “O dicionário dá o significado da palavra, enquanto o glossário e o vocabulário conceituam os termos e os inserem em uma determinada ciência ou trabalho científico”, explica.

O Vocabulário Básico de Recursos Naturais e Meio Ambiente está disponível em formato impresso e com um CD-ROM interativo, a R$ 30. Uma versão em pdf pode ser baixada gratuitamente pela internet, no site do IBGE. (Thiago Romero / Agência Fapesp)