ONU tenta definir posição sobre clonagem humana

A ONU – Organização das Nações Unidas iniciou nesta segunda-feira (14) mais uma tentativa para definir um documento internacional sobre clonagem humana. Representantes de 191 países vão negociar até sexta-feira (18) para chegar, pelo menos, a uma declaração que oriente os governos a estabelecer legislações próprias sobre clonagem de embriões e pesquisas com células embrionárias.

O grupo, formado em novembro, fracassou na sua primeira tentativa. Há uma grave divisão entre os países contrários a qualquer tipo de uso de embriões humanos e aqueles contrários à clonagem humana para fins reprodutivos mas favoráveis a pesquisas com embriões para produção de células-tronco – o que incluiria a clonagem terapêutica.

Costa Rica, apoiada pelos Estados Unidos e cerca de 60 países – na maioria pobres e em desenvolvimento -, propôs que a ONU elabore um tratado internacional banindo todo tipo de clonagem humana.

Bélgica, apoiada por 20 países – muitos europeus e o Japão entre eles -, propôs um documento banindo somente a clonagem reprodutiva, deixando a cada nação o direito de liberar ou não a produção de embriões clonados para uso de células-tronco e outros tipos de pesquisa.

O racha insuperável entre os grupos levou o comitê legislativo da Assembléia Geral da ONU a adiar as discussões e fazê-las em reuniões fechadas. A Itália apresentou uma proposta mais genérica, que deverá ser a base para esta nova rodada de negociações.

O texto italiano propõe que a ONU faça apenas uma declaração política, e não uma resolução ou tratado. As Nações Unidas conclamariam os países a adotar legislações próprias banindo “tentativas de criar vida humana por meio de clonagem” e proibindo “técnicas de engenharia genética contrárias à dignidade humana”.

De saída, o grupo liderado pelos belgas já implicou com a expressão “vida humana”, temendo que isso seja usado no futuro para impedir a produção de embriões clonados para extração de células-tronco. O grupo vai propor que a ONU defenda o banimento de “tentativas de criar seres humanos por meio de clonagem”.

Um representante americano adiantou que os Estados Unidos vão manter a qualquer custo a posição pelo banimento de todo e qualquer tipo de clonagem humana. Segundo analistas, dificilmente haverá acordo entre os dois grupos e a decisão pode ser levada a votação – se não houver um novo adiamento. (Estadão Online)