Justiça manda prender quatro acusados pela morte de freira no Pará

A justiça do Pará já decretou a prisão preventiva de quatro pessoas pelo assassinato da missionária católica Dorothy Stang, norte-americana naturalizada brasileira. De acordo com as investigações policiais, José Maria Pereira e Uquelano Pinto seriam os pistoleiros; Amauri Cunha, o intermediário e Vitalmiro de Moura, o mandante do crime.

A religiosa foi atingida por seis tiros: o primeiro, na nuca, causando morte instantânea. Outros três projéteis foram disparados nas costas da freira e dois pela frente. O crime ocorreu na manhã de sábado (12), quando Dorothy se dirigia a um encontro em que iria organizar um mutirão para construir um salão comunitário no assentamento Esperança, situado a 45 km de Anapu, onde residia há 27 anos.

A Polícia Federal abriu inquérito para investigar o crime e irá agir em parceria com a Polícia Civil do Pará. Dorothy Stang, de 73 anos, estava no Pará desde 1966, trabalhando com comunidades rurais e defendendo os direitos dos agricultores. O corpo da missionária será sepultado em Anapu, nesta terça-feira, às 14 horas. A prisão dos suspeitos foi determinada pelo juiz substituto da Comarca de Pacajá (Pará), Lauro Alexandrino Santos. (Radiobrás)