Especialista propõe substituição de combustíveis fósseis para evitar catástrofes freqüentes

O coordenador latino-americano do Conselho Mundial de Energias Renováveis, Stefan Krauter, disse nesta terça-feira (15), no Rio de janeiro (RJ), que as catástrofes naturais, como as ondas gigantes que atingiram vários países asiáticos no final do ano passado, podem se tornar freqüentes, caso as autoridades públicas não se sensibilizem para a necessidade da substituição de combustíveis fósseis, que provocam o aquecimento da terra, por energia mais limpa.

Ao abrir o 5º Congresso Internacional sobre Clima e Energia, Krauter lembrou que, em 1998, a temperatura do planeta foi a mais quente de toda a história terrestre e que, só no ano passado, as seguradoras gastaram US$ 15 bilhões com o pagamento de indenizações por causa de acidentes naturais.

Stefan Krauter defendeu a energia solar como a melhor alternativa, destacando que o potencial desta fonte é 14 mil vezes maior do que o consumo mundial de energia em um ano. Segundo Krauter, apenas 15% da área do deserto do Saara seriam necessários para atender ao consumo energético do planeta.

“Países como Japão, Alemanha, Estados Unidos e Austrália já oferecem incentivos financeiros para programas alternativos de fontes de energia. No entanto, na América do Sul, a maioria dos governos não investe nas fontes renováveis sob a alegação de que o custo é muito alto”, acrescentou.

O espanhol Javier Gorbeña Yllera, diretor comercial de uma grande empresa de energia solar, que também participa do evento, disse que “a energia solar seria uma boa alternativa para o Brasil levar energia aos 12 milhões de brasileiros que hoje ainda vivem sem luz”.

A diretora do Departamento de Energia Renovável do Ministério de Minas e Energia, Laura Porto, destacou que atualmente as fontes renováveis, como biomassa, biocombustível, energia solar, energia eólica, representam 43% da matriz energética do país. Segundo Laura, para manter essa participação, “o governo vem desenvolvendo programas fundamentais, como o Luz para Todos e os Programas de Biodiesel e de Etanol e das grandes hidrelétricas”.

A 5ª edição do Congresso Internacional sobre Clima e Energia será realizada até quinta-feira (17) no Hotel Glória, no Rio de Janeiro (RJ). Paralelamente, está sendo realizada, no mesmo local, a Feira Tecnológica Latino-Americana de Energias Renováveis. (Cristiane Ribeiro / Agência Brasil)