ONU aprova proposta americana e condena todo tipo de clonagem

Uma dividida Assembléia Geral das Nações Unidas aprovou, nesta terça-feira (8), uma medida que defende a proibição de todas as formas de clonagem humana, incluindo o uso da técnica para a pesquisa de células-tronco de embriões. Em uma vitória para o governo de George W. Bush e para muitos países predominantemente católicos, a assembléia de 191 países deu 84 votos a favor e 34 contra, além de 37 abstenções, para aprovar o projeto lançado por Honduras e endossado por seu comitê legal por uma margem semelhante no mês passado.

Muitos países islâmicos se abstiveram da votação por não terem chegado a um consenso sobre um dos pontos mais discutidos: se a pesquisa de células-tronco constitui uma busca médica válida ou significa apenas tirar as vidas humanas.

Oponentes da medida – incluindo a Grã-Bretanha, a Bélgica e a China – disseram que o texto não tinha validade legal e que não teria impacto na luta dos cientistas pela pesquisa de células-tronco.

No centro do debate, está a chamada clonagem terapêutica, técnica através da qual os embriões humanos são clonados para obter células-tronco que serão usadas em estudos médicos e, mais tarde descartadas.

Muitos cientistas dizem que a técnica representa a esperança de cura para cerca de 100 milhões de pessoas que sofrem de doenças como o mal de Alzheimer, câncer, diabetes e danos na medula espinhal. Mas os Estados Unidos, a Costa Rica e outros governos alegam que esse tipo de pesquisa, não importa para qual propósito, está tirando a vida humana. (Globo.com)