Embaixadas ganham bosques de espécies do Cerrado

Um ato simbólico, com o plantio de espécies nativas (medicinais, frutíferas e ornamentais) do Cerrado para formação de um bosque urbano, marcou nesta quarta-feira (9) o início da colaboração internacional para a conservação do bioma. A solenidade ocorreu em frente às Embaixadas da Venezuela e da Argentina, em Brasília (DF), novas parceiras do programa Vamos Cuidar do Brasil – Bioma Cerrado do Ministério do Meio Ambiente. A iniciativa objetiva formar corredores ecológicos no Distrito Federal e no seu entorno, com o envolvimento da comunidade e de outros setores.

A criação do corredor ajudará na movimentação das espécies de fauna que circulam pela região do Lago Paranoá. Durante esta semana, serão plantadas quinhentas mudas de espécies como angico, capitão-do-seco, orelha-de-negro, caju, baru, ipê-amarelo-cascudo, doadas pela Infraero, em torno das embaixadas da Venezuela e da Argentina.

De acordo com o diretor de Educação Ambiental do MMA, Marcos Sorrentino, a iniciativa é um desafio a ser enfrentado pelo ministério e outros parceiros para conservação e cuidados com o bioma Cerrado em cada região do país. Ele ressaltou que o programa encontrou boa acolhida por parte das embaixadas. “Desde o primeiro momento encontramos enorme receptividade com os países irmãos, com os quais convivemos em Brasília. A intenção é de um plantio de um bosque que tem um significado acima de tudo simbólico, numa demonstração de que a união entre países pode ocorrer com o debruçar-se sobre plantar o futuro”.

Sorrentino destacou ainda que, além das questões planetárias de mudanças climáticas, do efeito estufa, o plantio de árvores tem um sentido simbólico de envolver indivíduos, pessoas, cidadãos, instituições na comunhão pela vida. O diretor reiterou o convite a todos para juntos darem continuidade à iniciativa. “Esse plantio sinaliza o entrelaçamento junto com as embaixadas para que conheçamos também os programas de educação ambiental que são realizados em cada país”, destacou.

O embaixador da Venezuela, Julio García Montoya, disse que a iniciativa aponta para a conscientização da população para a conservação do meio ambiente. Segundo o embaixador, a partir de agora “a iniciativa será um exemplo a ser seguido pelas demais missões diplomáticas que estão na capital do Brasil”. Já o embaixador da Argentina, Juan Pablo Lohle, destacou que o tema meio ambiente não envolve só um país. É um tema internacional, continental e mundial. “Este pequeno ato simbólico significa a restauração de um ponto de consciência entre nós, entre as embaixadas no Brasil e em outras nações”, afirmou o embaixador argentino.

A solenidade contou com a participação de representantes das secretarias de Educação e de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Distrito Federal, de funcionários das embaixadas da Venezuela e da Argentina. O programa, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente, tem a parceria da Embrapa-Cerrado, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. (MMA)