Guajajaras denunciam falta de assistência médica em aldeias do Maranhão

Índios Guajajaras denunciam a falta de assistência nas aldeias da região do município de Grajaú. Uma criança indígena de 2 anos de idade morreu neste domingo (13), vítima de pneumonia. A criança adoeceu na aldeia do Bananal, que fica na margem do rio Grajaú a 130 Km da cidade, e foi levada para tratamento médico. Por recomendação dos próprios médicos de Grajaú, a criança foi transferida para São Luís, mas não resistiu e morreu logo depois de receber socorro.

De acordo com a Coordenação Administrativa da Funai – Fundação Nacional do Índio de Grajaú, esta é a sexta criança que morre em Bananal por falta de atendimento médico. Os Guajajaras estão revoltados com a falta de médicos e enfermeiros na região. Segundo informou o Índio Raimundo Carlos Guajajaras, “está muito difícil viver na comunidade, pois não há ambulâncias, médicos e nem remédios. Por isso as crianças estão morrendo”.

Em dezembro do ano passado, segundo Raimundo Carlos Guajajaras, o Governo Federal autorizou a contratação de seis médicos, seis dentistas e oito enfermeiras que ficariam a disposição a Comunidade, mas o Coordenador da Funai de Grajaú informou que as contratações não foram efetivadas.

A assessoria de Imprensa da Funasa em São Luís, informou neste domingo (13) que o Superintendente Regional do Órgão Zenildo Oliveira dos Santos deve se pronunciar a respeito da denuncia dos índios somente no inicio dessa semana. (Radiobrás)