MS tem projeto inédito para acompanhar nutrição de crianças indígenas desde 2002

A Funasa – Fundação Nacional de Saúde mantém desde 2002 em Mato Grosso do Sul um Programa de Vigilância Nutricional Indígena, único no país, segundo o órgão. “O objetivo é realizar o diagnóstico e o acompanhamento nutricional de todas as crianças indígenas até cinco anos de idade”, explica Gaspar Hickman, coordenador da Funasa em MS.

Segundo Hickman, em 2004, foram acompanhadas 8,2 mil crianças – 90% do total –, e 71% delas apresentaram “quadro nutricional normal”. Em 2002, quando começou o programa, esse índice era de 60% – embora o número de crianças observadas fosse menor. Na “quase totalidade” das áreas indígenas do estado, segundo o coordenador, a Funasa tem o mapeamento por satélite de todas as residências e acompanha a evolução da saúde de cada habitante.

Na aldeia Tey Kue, em Caarapó (264 km a sudoeste de Dourados), por exemplo, são 881 residências ou famílias cadastradas, segundo o chefe da Funasa na área, Adalberto Araújo Correia.

Correia, que trabalha com saúde indígena desde 1988, diz que a implantação do mapeamento representou uma mudança: “Antes, nascia, morria, enterravam sem ninguém saber. Agora, eu acompanho pelo computador a vida dos habitantes de cada casa”, diz ele. (Spensy Pimentel/ Agência Brasil)