CITES oferece apoio à India para proteger tigres de caça ilegal

O CITES – Convênio Internacional sobre o Comércio de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Silvestres pediu nesta terça-feira (12) uma reunião com o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, a fim de reforçar as medidas de proteção dos tigres, vítimas da caça ilegal. O secretário-geral da CITES, Willen Wijnstekers, solicita em carta enviada a Singh uma reunião para estreitar a colaboração com este país frente à “crise do tigre”.

Wijnstekers propõe o apoio desse organismo que se encarrega da proteção das espécies ameaçadas para “promover o reforço das medidas de conservação e de luta contra a caça ilegal” dos tigres.

“Meu propósito não é criticar a Índia ou seus representantes, mas oferecer o apoio do Secretariado do CITES para que seu país responda a esses preocupantes relatórios sobre as reservas de tigres”, assinala em sua carta.

Segundo os especialistas conservacionistas, a população atual desses animais na Ásia está entre 5.000 e 7.000 exemplares, frente a aproximadamente 100.000 no século XIX.

“Embora alguns relatórios alarmistas procedentes da Índia não sejam muito fidedignos, não há dúvida de que a fauna silvestre continua sendo saqueada por caçadores ilegais e comerciantes sem escrúpulos”, diz o secretário-geral da CITES, um convênio integrado por 167 Estados.

Ele acrescenta que “esses criminosos do meio ambiente exploram a pobreza de algumas regiões rurais da Índia” e detalha que “utilizam” a população de algumas aldeias como “peões para caçar ilegalmente tigres e leopardos ou para o contrabando de suas peles para os países vizinhos”.

Na carta, Wijnstekers ressalta ao primeiro-ministro da Índia que o “país continua sendo o principal bastião de várias dos espécies mais ameaçadas do planeta” e destaca entre eles os tigres de bengala.

Essa subespécie que ainda sobrevive na Índia faz parte dos últimos exemplares desses felinos que ainda resistem na Ásia, junto com os da Sibéria (Amur), da Sumatra e da Indochina.

Alguns exemplares de tigres também se encontram espalhados por Bangladesh, Coréia do Norte, China, Rússia, Nepal, Butão, Camboja, Laos e Birmânia, embora sobrevivam particularmente em parques nacionais ou áreas protegidas.

No entanto, outras três subespécies de tigres – Bali, Cáspio e Java – já se extinguiram e as que ainda se conservam no sul da China estão fortemente ameaçadas, já que só restam algumas dezenas de exemplares. (Agência EFE/ Terra.com)