Satélites expõem efeito da mudança climática em florestas

Um estudo financiado pela Nasa mostra como satélites podem rastrear o crescimento e a saúde das florestas, e detectar o impacto das mudanças climáticas sobre os ecossistemas. Embora a capacidade de prever como as mudanças climáticas afetarão as florestas continue incerta, novas ferramentas, incluindo dados de satélite, dão aos cientistas a informação de que precisam para entender melhor os vários fatores que afetam a saúde e a composição de uma floresta.

Pesquisadores determinaram que as avaliações feitas via satélite sobre as espécies de árvore e o crescimento da mata em regiões florestais dos EUA freqüentemente são equivalentes às avaliações feitas em solo. O estudo se valeu de dados obtidos pelo sensor Modis, montado nos satélites Terra e Aqua. Os dados foram reunidos no chamado “índice melhorado de vegetação”, uma medida de produtividade que também pode ser usada para avaliar o número total de espécies de árvores numa região.

Descobriu-se que o índice pode ter grande sucesso em indicar o número de espécies de árvore, quando seus resultados são comparados aos dados levantados numa avaliação nacional de espécies, feita pelo Serviço Florestal do Departamento da Agricultura.

Os dados do sensor Modis também mostram que a produtividade geral – ou crescimento – da floresta em resposta a condições climáticas ou sazonais está ligada ao número de espécies diferentes no ecossistema, o que permite aos cientistas inferir melhor os efeitos da mudança climática. (Estadão Online)