Indígenas se reúnem para discutir políticas de acesso ao ensino superior

Representantes do governo federal e do movimento estudantil indígena de diferentes universidades brasileiras estão reunidos para apresentar propostas de acesso e permanência das diferentes etnias nas instituições de ensino superior.

A discussão faz parte do 1º Encontro da Rede Brasileira de Instituições Superiores, que termina nesta terça-feira (5), em Brasília (DF). Paralelamente, ocorre o 2º Encontro de Estudantes Indígenas no Ensino Superior, onde será lançado oficialmente o portal da Rede Brasileira de Instituições de Ensino Superior para Povos Indígenas.

Segundo a coordenadora dos eventos, Maria Luiza Fragoso, os estudantes indígenas enfrentam problemas com transporte, alimentação e moradia, já que têm que se deslocar das aldeias até as escolas.

Ela afirma que dos mais de 300 estudantes que estão em universidades, 70% estudam em instituições particulares. Há menos de 20 instituições públicas que têm políticas voltadas para esse segmento, segundo ela.

“Apesar de o número de estudantes universitários indígenas ser pequeno, a demanda ainda é muito maior do que as universidades podem atender”.

O site, que já está no ar, tem um espaço para debate e apoio às demandas e estratégias de ações, para que comunidades indígenas tenham acesso e permanência no ensino superior no Brasil. O endereço é: www.redeestudantesindigenas.net (Raquel Mariano/ Agência Brasil)