ONU vai dar apoio a plano ambiental em São Paulo

No dia 30 de agosto, em São Paulo, a coordenadora do escritório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente no Brasil (PNUMA Brasil), Cristina Montenegro, assinou acordo com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) para a execução do Projeto Ambientes Verdes e Saudáveis, que será desenvolvido por uma parceria entre o PNUMA Brasil, as Secretarias de Meio Ambiente e Saúde da cidade de São Paulo (SVMA), a Faculdade Latino Americana de Ciências Sociais (FLACSO), a Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz), as Organizações de Proteção Ambiental (OPAs) e o Núcleo de Estudos de Saúde Pública da Universidade de Brasília (NESPE/UnB). Um dos componentes do Projeto é o GEO Saúde cidade de São Paulo, cujas atividades técnicas devem começar em outubro.

O Projeto Ambientes Verdes e Saudáveis tem por objetivo fortalecer, no município de São Paulo, a gestão, entre setores, de intervenções em assuntos ambientais com impacto sobre a saúde da população. Além disso, o projeto visa promover atitudes voltadas à preservação, conservação e recuperação ambiental bem como à promoção e proteção à saúde da população. O Projeto será desenvolvido nas 31 Subprefeituras da cidade de São Paulo e a estratégia definida para sua execução prevê o envolvimento dos Agentes Comunitários de Saúde e Zoonoses como atores sociais privilegiados no desenvolvimento de intervenções locais.

O Projeto está estruturado em duas diretrizes convergentes. A primeira é direcionada aos Agentes Comunitários de Saúde e aos Agentes de Controle de Zoonoses. O objetivo é fazer com que esses agentes implementem uma agenda intersetorial, para, assim, promoverem a identificação e o enfrentamento dos riscos ambientais para a saúde familiar e comunitário. Com isso, pretende-se desenvolver e consolidar ações para a promoção de ambientes verdes e saudáveis nas Subprefeituras da cidade de São Paulo. A segunda diretriz tem por propósito fortalecer a gestão das políticas públicas ambientais no município. O Projeto prevê qualificar gestores e formuladores de políticas públicas de saúde e de ambiente, para que eles tomem decisões que contribuam para a promoção da saúde e minimizem os riscos ambientais à ela.
(Fonte: PNUMA/PNUD Brasil)