Quatro estados vacinam rebanhos contra febre aftosa neste mês

Com rebanho estimado em 10,7 milhões de cabeças de gado, a Bahia está divulgou nesta terça-feira (19) a segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa em municípios como Barreiras e Correntina. Em 2005, a Bahia vacinou cerca de 96% do rebanho e, para este ano, o diretor do Departamento de Defesa Sanitária e Animal da Bahia, Iran Ferrão, espera alcançar a totalidade do rebanho. “A expectativa é que possamos alcançar todo o rebanho. Temos conseguido uma adesão crescente nos últimos anos e esperamos atingir a totalidade do rebanho vacinado”, afirmou.

O período de vacinação contra febre aftosa na Bahia vai até o dia 30 deste mês. Após essa data, os criadores têm prazo de 15 dias para apresentar à Agência de Defesa Agropecuária da Bahia os comprovantes de vacinação. O estado alcançou o status de Zona Livre de Aftosa em 2001 e desde março de 1997 não registra incidência da doença.

Além da Bahia, neste mês, também vacinam os animais os estados do Espírito Santo e do Rio de Janeiro, além do circuito pecuário leste de Minas Gerais. Juntos, os rebanhos dos estados somam cerca de 18 milhões de cabeças de gado.

Iran Ferrão ressaltou que vacinar o gado é uma tarefa importante a ser cumprida pelos criadores. “A vacinação contra a febre aftosa não deve ser encarada como um custo, mas como um investimento. Qualquer retorno dessa enfermidade em nossos rebanhos vai trazer prejuízos incalculáveis para o próprio criador, então é uma responsabilidade do criador estar cumprindo a parte dele no processo de erradicação da febre aftosa”.

Dados do Ministério da Agricultura mostram que de janeiro a agosto deste ano a indústria veterinária comercializou, em todo o país, cerca de 193 milhões de vacinas contra febre aftosa. Durante o mês de maio, principal do calendário da campanha contra a aftosa, foram vendidas 78,1 milhões de doses, segundo a Central de Selagem de Vacinas, órgão constituído em parceria entre o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (Yara Aquino/ Agência Brasil)