Fiscais do Ibama/RS realizam vistoria em clubes náuticos contra proliferação do mexilhão-dourado

Três equipes da Divisão de Controle e Fiscalização do Ibama/RS realizam nesta quarta (20) e quinta-feira (21), vistorias em barcos nos clubes náuticos de Porto Alegre e Região Metropolitana. O objetivo é verificar a presença do mexilhão- dourado (Limnoperna fortunei) e orientar os praticantes de esportes náuticos quanto à medidas de prevenção no transporte e deslocamento dos barcos. Uma equipe deverá se deslocar para os clubes da Zona Sul de Porto Alegre; outra em direção aos clubes localizados próximos à BR-116 na saída da Capital, e uma terceira equipe fará vistoria nos clubes de Eldorado do Sul.

Segundo o chefe da Divisão de Controle e Fiscalização do Ibama/RS, Fernando Falcão, o fato do Lago Guaíba estar contaminado pela espécie exótica invasora (onde foi encontrada pela primeira vez em 1998, espalhando-se para as bacias dos rios Gravataí, Sinos, Caí, Taquari-Antas, Jacuí e Lagoa dos Patos), torna o trabalho de conscientização fundamental junto aos proprietários de barcos que costumam navegar em locais diferentes, já que podem, involuntariamente, transportar o molusco – que tem grande resistência fora da água – em hélices, remos, motores, no casco dos barcos e em petrechos de pesca. Ao mesmo tempo será distribuída uma cartilha com procedimentos simples que podem (e devem) ser adotados de forma preventiva, para evitar a propagação do mexilhão-dourado.

Entre alguns ítens, a cartilha orienta como lavar o casco com água sanitária, sempre que sair de um local de pesca para outro; esvaziar, sempre em terra, qualquer reservatório de água que esteja no barco, inclusive de iscas vivas e, não devolver ao rio nenhum resíduo de limpeza do barco. Colocá-los sempre em terra, distante da margem.

A luta contra a proliferação do mexilhão-dourado é um trabalho conjunto dos governos federal, estaduais e municipais e envolve várias atividades. Segundo Falcão, o controle dessa espécie invasora dependente fundamentalmente da participação e da sensibilização dos proprietários de embarcações e pescadores.

Oficina em Rio Grande – Além destas atividades centradas na Capital e no entorno, será realizada também nesta quarta-feira uma oficina de formação de multiplicadores de informações sobre os problemas relacionados à espécie exótica invasora (EEI), no auditório da FURG, em Rio Grande. A oficina começa às 8h30min e será coordenada pelo analista ambiental do Ibama/RS, Fábio Faraco. Segundo a bióloga e consultora Daniela Gerlain, serão abordados aspectos ambientais e técnicos sobre a situação do molusco no estado, bem como a adoção de medidas emergenciais a serem executadas em conjunto pelos agentes envolvidos (Ibama, Sema, FEPAM, Capitania dos Portos e prefeituras entre outros). A atividade deverá acontecer durante todo o dia, e o endereço é Campus Carreiro, Avenida Itália, sem número. (Maria Helena Firmbach Annes/ Ibama)