Rio Tietê tem mortandade de dez toneladas de peixes

O aumento de vazão da água do rio Tietê para conter cheias em São Paulo provocou a mortandade de pelo menos dez toneladas de peixes ao longo das cidades de Itu, Salto, Porto Feliz e Tietê. A Cetesb (agência ambiental paulista) apura se houve crime ambiental.

Pode multar a Emae – Empresa Metropolitana de Águas e Energia), responsável pelo controle da barragem de Pirapora do Bom Jesus – onde houve o aumento de vazão para reduzir as cheias do Tietê na capital.

Na véspera do Natal, a vazão do Tietê na barragem foi aumentada de 100 m3/segundo para cerca de 500 m3/segundo, de acordo com o gerente da Cetesb em Sorocaba, Perseu Mariani.

“O aumento da vazão desprendeu lodo do fundo da barragem e isso reduziu o nível de oxigênio na água, provocando a mortandade. Trata-se de um crime ambiental.”

Em nota, a Emae não cita a mortandade de peixes, mas informa apenas que “esse projeto (de aumento da vazão) teve seu estudo ambiental aprovado pela Secretaria de Meio Ambiente”. (Folha de São Paulo)