Países tentarão reduzir doenças relacionadas à água

Os Estados que fazem parte do Protocolo sobre Água e Saúde da ONU se reunirão na próxima semana, em Genebra, para lançar programas sanitários e ambientais que poderiam evitar até 30 milhões de casos anuais de doenças relacionadas ao consumo de água, na Europa e na Ásia Central.

Com esse fim, os representantes dos países que fazem parte desse acordo internacional aprovarão medidas para melhorar a gestão e a qualidade de água, assim como um mecanismo que permitirá que as nações mais avançadas nesse campo colaborem com as que ficaram atrasadas para a implementação dessas ações.

Esta reunião, que acontecerá de 17 a 19 de janeiro, será a primeira dos Estados signatários do protocolo, em vigor desde 2005 como parte da Convenção para a Proteção e Uso Transfronteiriço de Leitos e Lagos Internacionais, e que é administrado pela OMS – Organização Mundial da Saúde e pela Unece – Comissão da ONU para a Europa.

Segundo a Unece, embora a maioria dos europeus considere que o acesso à água potável é generalizado em seu continente, “cerca de 120 milhões de pessoas não têm água pronta para o consumo, nem serviços de saneamento adequados”.

A maior parte dessa população desfavorecida fica na Europa oriental, nos Bálcãs, assim como no Cáucaso, região que também está compreendida no protocolo. Essas pessoas são vulneráveis a contrair mais facilmente doenças infecciosas, como cólera, disenteria, hepatite A e tifóide, afirmou a Unece. (Estadão Online)