Governo britânico fará consulta pública sobre células-tronco

Uma agência do governo do Reino Unido pretende realizar uma consulta pública sobre se cientistas deveriam ter autorização para criar células-tronco humanas a partir de óvulos de animais.

A Autoridade de Fertilização Humana e Embriologia informa, em nota, que apenas após o processo de consulta será emitida a decisão sobre os experimentos.

“A lei nessa área está longe de ser explícita, e esta área de pesquisa seria uma mudança de passo significativa na ciência do Reino Unido”, diz a nota da principal executiva da Autoridade, Angela McNab. “Seria um erro fazer um julgamento imediato desses assuntos complexos e controversos, antes de termos constituído um corpo adequado de evidências”, prossegue o texto.

Importantes pesquisadores de células-tronco advertiram, na semana passada, que proibir essas pesquisas colocaria em risco pesquisas sobre a cura de doenças como o Alzheimer. O primeiro-ministro Tony Blair também entrou no debate, afirmando que o governo não está “convicto” em combater esses estudos.

Em dezembro de 2006, um relatório do departamento de saúde propunha proibir a criação de embriões que misturassem material genético humano e animal.

Diversos cientistas pediram licenças para criar células-tronco usando óvulos de animais. O processo envolve injetar material genético humano num óvulo vazio de vaca ou lebre. Isso produziria um óvulo com genética predominantemente humana, e traços de DNA animal. O óvulo então seria estimulado a desenvolver-se, tornando-se um embrião do qual células poderiam ser extraídas. (AP/ Estadão Online)